ATIVISMO JUDICIAL NA AÇÃO PENAL 937: MUDANÇAS NO FORO ESPECIAL POR PRERROGATIVA DE FUNÇÃO

Júlio Dias TALIBERTI

Resumo


O foro especial por prerrogativa de função, popularmente chamado de foro privilegiado, está estampado na Constituição Federal e regulado nos demais diplomas legais. Entretanto, o Supremo Tribunal Federal, durante o curso da Ação Penal 937, alterou seu funcionamento e alcance, numa clara prática de ativismo judicial. Desta forma, justifica-se o presente trabalho com a necessidade de se discutir e expor o fenômeno em tal matéria, uma vez que afeta diretamente o julgamento criminal de figuras importantes do cenário político nacional. Neste sentido, o trabalho se utiliza principalmente da jurisprudência pátria para analisar a questão, também se embasa em monografias, doutrinas e artigos jurídicos para expor e fundamentar. Com isto, pode-se concluir que por mais que muitas mudanças venham a ser benéficas e acelerarem os trâmites processuais é contra a própria dinâmica constitucional democrática e trazem consigo grande insegurança jurídica, diante da facilidade com a qual o ativismo modifica, recria e deturpa até mesmo a Constituição Federal.


Palavras-chave


Foro Privilegiado; Interferência do Judiciário; Ação Penal Originária

Texto completo:

PDF

Referências


BARROSO, Luís Roberto. Judicialização, ativismo judicial e legitimidade democrática. Thesis, Rio de Janeiro, vol.5, nº 1, 2012, p.23-32.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação Penal n.º 937, Questão de Ordem. Relator Ministro Luis Roberto Barroso. Brasília, Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2019.

______. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Art. 125 §1° CF. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2018.

CORRÊA, Plínio. Ação penal originária: Procedimentos. Porto Alegre: Síntese, 2001.

FALCÃO, Joaquim et al. V Relatório Supremo em Números: o foro privilegiado. Rio de Janeiro: Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getúlio Vargas, 2017.

TAVARES FILHO, Newton. Foro privilegiado: pontos positivos e negativos. Consultoria Legislativa. Câmara dos Deputados, 2016. Disponível em: <.http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/estudos-e-notas-tecnicas/publicacoes-da-consultoria-legislativa/areas-da-conle/tema6/2016_10290_foro-privilegiado-pontos-positivos-e-negativos>.Acesso em: 20 nov. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Iniciação Científica e Extensão da Faculdade de Direito de Franca

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

http://www.abecbrasil.org.br

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Compartilha Igual 4.0 Internacional.